Louis Vuitton | #celebratingmonogram

Em 1854, Louis Vuitton fundou sua “Maison”. Em 1896, seu filho Georges Vuitton criou o Monogram em homenagem a seu falecido pai. Assim nasceu um ícone.

Na época da sua criação, o Monogram foi revolucionário. Esta assinatura tão particular e pessoal transformou-se imediatamente num símbolo universal de modernidade nas mãos de Georges Vuitton: é uma das primeiras experiências de marca elevada e um sinal que esboça a cultura global vindoura.

Em 1965, Gaston-Louis Vuitton, contou novamente como o seu pai, Georges, tinha criado os motivos na tela Monogram: “Em primeiro lugar, as iniciais da empresa LV – foram entrelaçadas de modo que continuassem perfeitamente legíveis. Depois, um losango. Para dar uma personalidade específica à forma, ele fez os lados côncavos com uma flor de quatro pétalas no centro. Em seguida a extensão dessa flor numa imagem positiva. E por fim, um círculo contendo uma flor com quatro pétalas arredondadas.”

Hoje, o Monogram é reconhecido no mundo inteiro como a assinatura que define a Maison de Louis Vuitton, no sentido literal, mas também no metafórico. À medida que atravessa os anos, alguns de seus atributos e significados seguem inalterados. Ao tornar as fronteiras entre competência artesanal, arte e design difusas, a Louis Vuitton tem englobado reiteradamente as noções de inovação, colaboração e ousadia ao longo de toda a história do Monogram.

É nesse cenário que o projecto “Celebração do Monogram” da Louis Vuitton nos é apresentado neste ano. Trata-se de uma coleção de obras que mostra o lado eminentemente pessoal do Monogram, revelando de uma maneira singular, pessoal e idiossincrática algo que até então nos parecia familiar. Seis iconoclastas criativos, referências em suas respectivas áreas, que aboliram as fronteiras entre moda, arte, arquitectura e design de produtos, receberam carta branca para se impor e fazer o que acharem mais adaptado à tela estampada.

Inspirada na coleção especial do centenário Louis Vuitton em 1996 – quando Azzedine Alaia, Manolo Blahnik, Romeo Gigli, Helmut Lang, Isaac Mizrahi, Sybilla e Vivienne Westwood contribuíram com designs pessoais e excepcionais –, a coleção 2014 conta com participantes que foram ainda mais longe. Neste ano, Christian Louboutin, Cindy Sherman, Frank Gehry, Karl Lagerfeld, Marc Newson e Rei Kawakubo criaram uma coleção inédita, cada qual com sua radicalidade, o seu toque pessoal e muito humor.

De certa maneira, isso quer dizer que o Monogram encerrou um ciclo: contempla novamente as suas raízes artesanais, a sua ligação direta com uma pessoa, a ousadia e a audácia para desafiar géneros e, sobretudo, a jornada rumo ao futuro da Louis Vuitton. Esta coleção, ao mesmo tempo universal e pessoal, em perfeita harmonia com a tradição cultivada pela Maison, mais uma vez, desafia as expectativas.

IMG_4510.JPG

IMG_4509.JPG

IMG_4508.JPG

IMG_4507.JPG

IMG_4506.JPG

IMG_4502.PNG

IMG_4504.PNG

IMG_4503.PNG

IMG_4505.PNG

Fonte: Louis Vuitton | http://www.louisvuitton.com | Newsletter Info

IMG_4495.JPG

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s